A crise política e econômica de 2015-2016

A crise política e econômica de 2015-2016

Contexto

A crise política e econômica vivida pelo Brasil entre 2015 e 2016 foi um período marcado por instabilidade política e recessão econômica. O país enfrentou a maior queda do PIB desde 1990, um aumento significativo do desemprego e a perda de crédito soberano.

Crise Política

A crise política começou em 2014, quando a Operação Lava Jato iniciou suas investigações. A operação revelou um esquema de corrupção envolvendo políticos e empreiteiras, o que gerou uma grande instabilidade política no país. Em 2015, uma crise política se agravou quando o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, decidiu dar início ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em agosto de 2016, o processo chegou ao fim e Dilma foi afastada definitivamente da presidência.

Crise Econômica

A crise econômica também teve início em 2014, quando o país enfrentou uma queda no preço das commodities que exporta. A inflação começou a aumentar e o PIB começou a cair. Em 2015, a crise se agravou e o país enfrentou a maior contração econômica desde 1990, com uma queda de 3,8% no PIB. Em 2016, a recessão continuou, com uma queda de 3,6% no PIB.

Consequências

A crise política e econômica teve consequências sérias para o Brasil. Milhões de pessoas perderam seus empregos, a dívida pública aumentou e o país perdeu o status de grau de investimento. A instabilidade política também afetou a confiança dos investidores no país, afastando investimentos estrangeiros. A popularidade dos políticos e a confiança na política brasileira também foram afetadas.

Conclusão

A crise política e econômica de 2015-2016 foi um período difícil para o Brasil. A instabilidade política e a recessão econômica tiveram consequências sérias para o país e sua população. O Brasil ainda está se recuperando da crise e trabalhando para voltar a crescer e atrair investimentos.